quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Remar contra a maré!


"Há momentos na vida que devemos largar os remos e pegar na corda" foi uma frase que me dirigiram há dias e teve um certo impacto em mim... gostei da lógica... quer dizer, pelo que entendi, metaforicamente, às vezes estamos nas "cascatas da vida" e pensamos que podemos continuar a remar sozinhos contra a maré. Mas... não! Às vezes temos que ser humildes e aceitar ajuda! Temos que aceitar largar os remos e pegar a corda que nos atiram da margem.


Gostei da analogia e foi interessante e gratificante ter entendido tudo o que a pessoa me quis dizer, apenas numa frase.


Mas senti-me meio incapaz de explicar com clareza que, por vezes, a corda não nos deixa sair da zona de perigo, por vezes necessitamos remar muito para criarmos nos nossos músculos, as nossas forças, as nossas bases para sairmos sozinhos. Ás vezes a corda serve apenas para descansarmos e olharmos à nossa volta e elucidarmos de qual a melhor direcção...


De qualquer forma, já larguei a corda e sinto-me com forças para remar contra tsunamis. Hei-de precisar de muitas outras cordas na minha vida, mas agora tenho que sair remando... just wish me luck!

4 comentários:

zito azevedo disse...

...E convém não descurar um pormenor importantissimo: do lado de lá da corda, deve estar alguem em quem se possa confiar...Caso contrário é preferivel o abismo!

JB disse...

Boar sorte e boas marés, Tey.

Abraço

Tey Alexandre SilFonSoares disse...

Zito Azevedo... acho que o abismo nunca é preferível, mas de facto, nunca se deve descurar em quem se está a confiar.

Obrigado JB espero que efectivamente venham aí boas marés...

Fonseca Soares disse...

Um braça pertód!