quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Basta!


A Luz do escuro brilha, brilha.

Brilha tanto, que brilha até de dia.

Thugs dançam a música desta ilha

DJ Electra é que nos envia.


De apagão em apagão

Sorrimos e brincamos

Mesmo se fica sem o pão

Alguém que gostamos e amamos


Cheiramos a perfume

Apenas com meio litro de banho

Não será reminiscências de estrume

Esse tal cheiro estranho?


O básico do básico

Escasseia em todo o território

Houve contador trifásico

Que já virou mictório


Pagamos a ausência de luz

Pagamos o ar nas torneiras

Há dias que nada se produz

Manifestações!?… Só brincadeiras…


Cidadania?... Lema de Campanha…

Exigir o que é o nosso direito!?

Claro que não… não estamos na Alemanha!

Agimos do nosso jeito… com defeito!


Preocupar-me com um Partido?

Esperar a Pró-Praia actuar?

Nada disso faz sentido

Se a água está a rarear


Vamos todos sair à rua

Solução é a meta

Até lá a luta continua

Tudo o resto… é treta!


Não me interessa se tens motor

Pior ainda cisterna

Vê se fazes algo, por favor

Pela tua Pátria Materna


Sem Brincadeira… Sexta-feira

Por volta das seis e meia

Quero ver a cidade Inteira

A aderir a esta ideia


Praça Grande no Plateau

Palco da nossa concentração

Se não fores és um côcô

Não terá outra explicação!

2 comentários:

zito azevedo disse...

Olá, Teyzão...Bendito "apagão" que o trouxe de volta!
Abraço,
Zito Azevedo

Hermínia Nadais disse...

Muito bonita a poesia.
Parabéns!