quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Vendas de discos crescem com leis anti-pirataria




Na Suécia, vendas de discos subiram 18% após entrada em vigor de lei anti-pirataria musical. Ligação directa não está provada mas medida pode ser aplicada noutros países - como Cabo Verde.


As vendas de música na Suécia cresceram 18% nos primeiros nove meses deste ano, noticia o jornal inglês The Guardian. Esta é a primeira evolução positiva naquele mercado nos últimos sete anos, marcados por um contínuo declínio nas vendas .


A subida nas vendas segue-se, na Suécia, à entrada em vigor da lei anti-pirataria musical e à acção legal contra o site de partilha de ficheiros Pirate Bay . Um pouco por toda a Europa, vários países ponderam adoptar uma medida semelhante à da Suécia.


Por seu turno, os oponentes da mesma lembram que o acréscimo das vendas poderá ter a ver com o surgimento de mais sites legais de venda de música , como o Spotify - aliás, do aumento das vendas na Suécia, 80% corresponde ao mercado digital e apenas 9% aos formatos físicos.
A adesão de muitos suecos ao Partido Pirata - que nas mais recentes eleições europeias ganhou um lugar no Parlamento - é outro dos argumentos dos que se opõem à punição dos prevaricadores. Tal como na Suécia, também na Coreia do Sul as vendas de música cresceram 18% na primeira metade deste ano, o que corresponde ao primeiro sinal positivo desde 2004. Citado pelo Guardian, um representante da indústria discográfica da Suécia afirma: "É como o excesso de velocidade. Se houver câmaras de segurança as pessoas começam a andar mais devagar. Até podem não ter mudado de atitude, mas encontram alternativas legais porque não querem ser apanhadas".
Também em Portugal os internautas que fazem downloads ilegais poderão ficar sem internet , caso a União Europeia aprove o chamado Pacote Telecom. Se este for para a frente, as autoridades de cada país poderão cortar o acesso à internet sem ordem judicial prévia já em 2010.

1 comentário:

zito azevedo disse...

ENQUANTO ISSO A DELINQUENCIA SOBE 17% EM lISBOA E PORTO...Excesso de música, talvez...